Quarenta e Duas

Quarenta e Duas é resultado da parceria entre o Núcleo Tumulto! de Investigação Cênica e a Cia Artehúmus de Teatro. A colaboração entre os dois coletivos começou ainda em 2013, quando o diretor e dramaturgo Evill Rebouças orientou a escrita do texto, desenvolvido como atividade pedagógica no curso regular de Dramaturgia da SP Escola de Teatro. A primeira leitura encenada de “Quarenta e Duas” aconteceu em julho de 2013 e contou com a participação dos atores Asnésio Bósnic, Emiliano Favacho e Gustavo Braunstein. Um ano depois, na programação de abertura da Ocupação Casa Amarela, o texto recebeu uma segunda leitura, dessa vez já realizada com direção de Evill Rebouças e os atores da Cia Artehúmus.

Em 2017, Evill propõe ao Núcleo Tumulto! uma parceria para montagem do texto, dessa vez sob direção de Daniel Ortega e Emerson Rossini. Com Daniel Ortega, Cibele Bissoli e Cristiano Sales no elenco, a montagem teve cenografia e figurino de Álvaro Franco, sonoplastia de Vinícius Penna, iluminação de Thatiana Moraes e produção executiva de Daniele Aoki.

O trabalho marca o início das parcerias entre o Núcleo Tumulto! e outros coletivos teatrais da cidade de São Paulo, proporcionando um processo criativo que aborda questões caras às investigações do grupo, como a performatividade, o trabalho com a criação de imagens e estruturas narrativas e as fricções entre imagens e palavras. A experiência proporcionou outros modos de pesquisa e criação, para além das metodologias de investigações cênicas que o grupo busca instaurar nos processos onde não há a criação prévia de um texto dramatúrgico.

A dramaturgia foi elaborada a partir de uma notícia veiculada em sites e colunas no estilo “Planeta Bizarro” de meados de 2012. As notas se referiam a suposta morte de um adolescente no interior de Goiás, após se masturbar quarenta e duas vezes ininterruptamente. Compondo quadros em uma espécie de zapping entre cenas de filmes, comerciais, conversas em chats na internet e situações cotidianas, a abordagem é focada na violência do estímulo constante ao consumo e ao gozo permanente como sinônimo de felicidade. A encenação construiu uma atmosfera onírica, onde personagens da cultura pop se cruzam com pedaços de corpos de bonecas, carne moída e refrigerantes, em meio a atores que se revezam entre personagens ao compor o universo de impulsos, desejos e vazios do adolescente morto.

Quarenta e Duas esteve em cartaz na SP Escola de Teatro – Roosevelt entre março e abril de 2018.

 SP Escola de Teatro | 2018

São Paulo, SP

© 2020 por Núcleo Tumulto. 

  • Facebook
  • Instagram

São Paulo, Brasil